• comidinhas / fermentados

    Chucrute

    Você tem um minuto para ouvir a palavra dos fermentados?

    Adotei os fermentados na vida e cada dia tenho me interessado mais por este mundo. Comprei o livro “A Arte Da Fermentação”, do Sandor Katz, considerado o rei dos fermentados, e a cada folheada novas ideias vão aparecendo.

    Só evito comer todos os dias pois descobri, a duras penas, que em excesso eles podem causar distúrbios intestinais, então vá com calma, pois é um vício!

    Não sei se você já assistiu o filme Capitão Fantástico, que conta a história de um homem que, tentando escapar do sistema capitalista opressor, vai morar com a família numa floresta. Inevitavelmente, ele precisa produzir tudo o que come e, em certo momento, uma cena mostra na sua cozinha vários potes preenchidos com vegetais fermentados. Sempre que estou fazendo minhas conservas me lembro dessa tomada! Se você não viu ainda, vale o tempo investido, viu?

    Considerações sobre essa receita

    Não se acanhe se quiser colocar especiarias junto com os outros ingredientes. Com cominho e erva doce, por exemplo, fica uma beleza.

    Experimente usar a mesma técnica para fermentar rabanete, cenoura, nabo, gengibre e por aí vai.

    Se você é novo neste mundo, não estanhe o cheiro ácido que vai se formar depois de alguns dias, viu? É super normal.

    Ingredientes 

    1 repolho roxo de tamanho médio (também pode usar o verde)

    2 cl. (sopa) de sal

    1 pote de vidro de 750 ml com tampa que vede bem higienizado

    Especiarias (opcional)

    Instruções

    Lave e corte o repolho em tiras finas e acrescente o sal.

    Leve para uma bacia e amasse com as mãos até o repolho ficar macio e bem murcho. O processo demora cerca de dez minutos: ele vai soltar bastante água (não descarte essa água!).

     

    Foto do meu curso Cozinha da Terra, em 2018, por Luiza Ranieri (@lu.ranieri)

    Como armazenar

    Coloque todo o conteúdo num pote, aperte bem com a ajuda das mãos, adicione e água que soltou no processo de espremer o repolho e certifique-se de deixar dois dedos de espaço entre o conteúdo e a tampa – se você não deixar esse espacinho, correrá o risco do pote explodir, pois as bactérias e leveduras formarão gases e borbulharão bastante.

     

    Foto do meu curso Cozinha da Terra, em 2018, por Luiza Ranieri (@lu.ranieri)

    Deixe descansar por 3 dias com a tampa semi aberta fora da geladeira e vá apertando com uma colher limpa todos os dias pela manhã, para o conteúdo ficar sempre imerso na água (fermenação anaeróbica, sem oxigênio). 

    Depois desses 3 dias, aperte bem a tampa, aguarde mais 3 dias e já pode consumir. Se preferir, pode deixar vários meses fora da geladeira, tudo depende da aceitação do seu paladar. Para desacelerar o processo de fermentação, é só guardar na geladeira. 

    Gosto de temperar saladas com o chucrute ou comer no meio da comida mesmo.

    O prazo de validade é indeterminado, desde que o conteúdo fique sempre imerso na água, viu?


    E-book sobre fermentação de vegetais

    Aqui você pode comprar meu livro digital Para Começar a Curtir: Fermentação de Vegetais (R$34), que contêm 18 receitas, poemas culinários, técnicas ilustradas e um FAQ (perguntas frequentes)!

  • You may also like

    Pin It on Pinterest

    Share This