Sobre mim

Foto por @nitro

Alou! Sou a Carol Dini! Tenho 32 anos, me formei como advogada e comecei a cozinhar há cerca de 10 anos por um acaso. O amor pela cozinha foi aumentando e por isso comecei a estudar bastante os alimentos, fiz mini cursos do SENAC e trabalhei em dois restaurantes. Nessa época eu usava muitos produtos industrializados e consumia carne todos os dias sem entender me questionar o que isso envolvia. Durante pelo menos um ano cheguei a escrever para um site famoso sobre os hambúrgueres da minha cidade – quem diria? hahaha.

Fui me politizando e com isso os questionamentos sobre a indústria alimentícia, a pecuária e o agronegócio ficaram mais latentes. Conhecendo mais sobre as artimanhas desses sistemas, que andam de mãos dadas com a indústria farmacêutica, foi impossível fechar os olhos para tanta manipulação. Se tem uma coisa que a gente pode afirmar é que o agro não é tech, muito menos pop.

Fui deixando, aos poucos, de consumir carne e produtos industrializados, mudando meu consumo e hábitos para outros mais saudáveis e alinhados com o mínimo impacto ambiental que desejo causar no mundo.

É por isso que estou aqui compartilhando receitas fáceis e acessíveis, eu acredito de verdade que cozinhar muda o mundo!

Preciso contar também que três anos depois do nascimento deste blog meu amor pela comida cresceu tanto que em 2018 deixei um emprego estável de coordenadora do jurídico de uma grande empresa para me dedicar integralmente às panelas. Hoje dou cursos por aí e presto consultorias para famílias e restaurantes.

Em 2019 publiquei o livro Cozinha Extrassensorial, o primeiro do Brasil que harmoniza receitas sem o uso de ingredientes animais com óleos essenciais brasileiros. Em 2020 me juntei à @flordemim para criar o Semanário Vegetal, que é uma espécie de planner misturado com livro de receitas.

O que mais me fascina quando estou com a barriga no fogão são os ensinamentos que essa experiência, somada à boa mesa, traz sobre viver a vida. Digo aos amigos que cozinha é lugar pra dançar, tirar folga dos problemas, despir os preconceitos, adorar o novo, apreciar os detalhes, fazer do simples algo especial, afinar o paladar, testar nossos limites, inovar, meditar sobre o correr dos dias, associar olfatos, entender o corpo, reconectar com o universo, fazer da pimenta e dos problemas ardidos algo agridoce, fartar com novos cheiros, misturar sabores e brincar com as papilas gustativas. 

E do que mais a vida não é feita senão disso?

Corte uma Cebola, puxe ela na Manteiga (não falei de que!) e sigamos juntinhos =)

Ah, se você quiser dicas culinárias gratuitas ou me contratar para algum dos serviços que citei, me encontre no Instagram @cebolanamanteiga ou mande um e-mail para contatocebolanamanteiga@gmail.com que a gente se fala, tá? 

Com amor e com fome,

Carol.

Pin It on Pinterest

Share This