• pratos principais / Receitas veganas

    Poke, sunomono e chucrute

    Sobre comer na combuca

    A combuca é uma coisa tão brasileira e querida que só o fato de ver uma comida fresca ali depositada já acalenta meu coração. Segundo o que li na Wikipédia, “combuca” vem do tupi “kui’mbuka”  e significa ‘espécie de cuia’. Lindo, né? É realmente um gesto bonito levar a combuca à boca e sorver o alimento dali de dentro, com a sensação de que todo o conteúdo é meu e só meu, sem qualquer culpa pelo egoísmo da não partilha. Deve ser daí a expressão popular “meter a mão em combuca”, que nada mais significa do que adentrar em terreno onde não se é chamado, expor-se ao perigo.

    Composição do poke fresco

    O poke que proponho hoje leva chucrute, uma conserva de repolho fermentado, considerado prato típico da culinária alemã, e consumido em todo o mundo. Sua base é o repolho cortado em finas tiras. Além disso, tem sunomono, uma conserva feita com pepino, vinagre de arroz, açúcar e gergelim. Afora isso, cogumelos caramelados, cubos de manga, gergelim negro e branco. Todos os ingredientes interagem bem, causando contrastes que combinam.

    Mãos à obra:

    Fazendo o chucrute

    Ingredientes

    1 repolho roxo ou branco

    2 cl. (sopa) de sal

    Modo de fazer

    Lave e corte o repolho em tiras finas e acrescente o sal. Amasse com as mãos até o repolho ficar macio e bem murcho. Deixe descansar da noite para o dia na geladeira, escorra a água e coloque todo o conteúdo num pote com fechamento hermético, deixando um dedo de espaço entre o conteúdo e a tampa.

    Deixe descansar por 6 dias e está pronto!

    Fazendo o arroz japonês

    1 copo de arroz japonês

    2 copos de água

    1 cl. (café) de sal

    Modo de fazer

    Lave bem o arroz com água corrente para tirar o excesso de amido.

    Leve à panela com a água filtrada e o sal, em fogo médio. Cozinhe por 15 minutos com a panela tampada, desligue o fogo e deixei descansar (sem tirar a tampa) por mais 10 minutos. Reserve.

    Fazendo o sunomono

    Foto da amiga @luizabongir

    1 pepino grande

    3 cl. (sopa) de sal marinho

    1 cl. (sopa) de semente de gergelim negra

    1 cl. (sopa) de semente de gergelim branca (opcional)

    1 copo de vinagre de arroz

    ½ copo de açúcar

    1 pote higienizado que vede bem

    Modo de fazer

    Aqueça o vinagre numa panela e misture o açúcar, mexendo até incorporar. Desligue o fogo e reserve.

    Fatie o pepino com a ajuda de uma faca bem afiada ou um mandoline em fatias finíssimas.

    Coloque o pepino numa vasilha, acrescente o sal e misture. Deixe descansar por pelo menos meia hora para desidratar bem.

    Lave os pepinos com bastante água corrente, esfregando os dedos delicadamente em um por um até tirar o sal.

    Mergulhe os pepinos na mistura de vinagre e açúcar, coloque o gergelim no pote bem sequinho e leve à geladeira. Ele costuma durar pelo menos 1 mês.

    Fazendo os cogumelos

    Foto da amiga @laradias

    1 cl. (sopa) de azeite

    100g de cogumelos de sua preferência

    1 cl. (sopa) de açúcar mascavo

    ½ cl. (chá) de sal

    Leve tudo à frigideira em fogo médio e vá mexendo durante o processo, que vai levar cerca de cinco minutos ou até os cogumelos ficarem levemente dourados.

    Finalmente, o poke

    Você vai precisar de

    1 punhado de sunomono

    1 punhado de chucrute

    1 punhado de manga espada em cubos

    1 cl. (chá) de gergelim branco

    1 cl. (chá) de gergelim negro

    ½ copo de arroz japonês cozido para cada bowl

    100g de cogumelos caramelados

    1 alga em folha levemente tostada na boca do fogão (não deixar encostar para não queimar).

    Montando o poke

    Monte o bowl colocando cada ingrediente num canto, certificando que um pedacinho de cada irá aparecer.

    Polvilhe o gergelim e use sua criatividade para variar a composição do bowl. 

  • You may also like

    No Comments

    Leave a Reply

    Pin It on Pinterest

    Share This