All Posts By :

Carolina Dini

  • Filosofando com as panelas

    Como fazer e cuidar de uma composteira doméstica (minhocário)

    A mudança incrível que a composteira faz na vida

    Falo muito sobre a importância da gente cuidar do lixo que produz, pois é aquela velha história, de fato: não existe isso de “jogar fora”. Quando percebemos o meio ambiente como extensão do nosso território, acabamos por absorver a necessidade de cuidar dele.

    Antes eu achava que compostar o lixo era uma coisa que jamais se encaixaria na minha rotina. Pensava que iria feder a casa inteira, que minhocas andariam pela sala, enfim, um tanto de crenças me afastavam da compostagem.

    Continue Reading

  • Receitas

    Inhame-rei

    Inhame é rei na minha cozinha. Uso o tempo todo para levantar a imunidade quando sinto que meu corpo tá pedindo arrego. É um santo remédio contra os sintomas da TPM, dizem que atua também contra a depressão. Por isso vim passar algumas receitas para incentivar o consumo desse tubérculo maravilhoso!

    Antes, um recado importante: se você começar a descascar o inhame e ele coçar a mão, não coma cru, você pode ser uma pessoa sensível aos cristais de oxalato e ter reações severas, ok?

    Continue Reading

  • Receitas

    Creme de beterraba e a divisão igualitária de tarefas

    Tomo muito cuidado para não romantizar a cozinha pois conto com várias coisas que me animam bastante na hora de mexer as panelas: gosto de testar coisas novas, ganho ingredientes, me interesso pelo assunto e, principalmente, divido tarefas domésticas (todas) de forma igualitária com o Daniel, meu companheiro. Mas não é assim que acontece na casa da maior parte das pessoas, ainda mais se estivermos falando de relações hétero.

    Continue Reading

  • Receitas

    Banho de ervas

    Preciso de natureza para recarregar as energias, mas como onde moro não dá pra viver com o pé na terra e a bunda na água, minimizo a falta de mato cultivando um mundo de plantas.

    Fiz questão de contabilizar dia desses: num espaço de 90 metros quadrados moram comigo Daniel, Fidel e 203 plantinhas. No ambiente interno temos samambaias, suculentas, lírio, cacto, dinheiro-em-penca e zamioculca. No espaço que bate bastante sol fica minha hortinha com as plantas comestíveis, Daniel teve a manha de fazer um sistema de gotejamento autoirrigável para as jardineiras onde elas moram.

    Existem também as espécies raras que nós dois fomos colecionando ao longo da vida, as muitas mudas que catamos pelo bairro, os ipês, jabuticabeira, mamão, paineira, ervas para banho, cada uma conta sua história, algumas têm mais de trinta anos!

    Converso com elas e até hoje comemoro o tanto que a cebolinha cresce de um dia pro outro, acho uma aventura acompanhar o tempo de florescimento e observar como a natureza sempre acha um jeito de frutificar mesmo em condições estranhas. Desconfio que se deixássemos tudo sem podar, não teria mais lugar para nós três aqui.

    Quando a Ju Gomes do @comidasaudavelpratodos veio do Sul para dar um curso comigo, trouxe de presente uma muda de hortelã elevante, que segundo ela é maravilhoso para quem tá precisando de uma energizada. E quem não tá nesses tempos de censura, né?

     

    Essa é a hortelã-levante com alecrim, duas ervas muito queridas aqui em casa

    Depois de alguns testes, cheguei na minha receita preferida de banho de bruxa, que vim ensinar:

    Coloque numa panela alta mais ou menos dois litros de água (não precisa medir, vai no olhômetro mesmo) e aqueça até começarem a formar bolhas.

    Não deixe ferver para não queimar as ervas, pois em seguida você já pode desligar o fogo e mergulhar um punhado de elevante e outro de alecrim, como nas fotos.

    Tampe com um paninho e deixe em infusão até a água esfriar. Depois, coe, coloque a água num pote e leve para o banheiro para despejar do pescoço para baixo depois do banho, de preferência pela manhã, mentalizando que todos os seres sejam livres e felizes ou qualquer outro feitiço que vier à cabeça 🌿

    Fotos da @nanirodrigues do @brejo.co

  • Receitas / Receitas veganas

    Angu mole com cogumelos (polenta)

    Fiz uma enquete no Instagram para perguntar qual é a comida afetiva que mais balança coraçõezinhos e a maior parte das pessoas respondeu angu. Por aqui digo o mesmo, cresci comendo o angu que minha mãe fazia. Quando sobrava, ela fritava e era uma alegria sem fim morder aqueles nacos duros bem temperados, dava até disputa pelos mais tostadinhos. 

    É claro que a arquibancada de mineiros que me segue têm grande responsabilidade pelo resultado dessa pequena pesquisa nada séria, mas como teve gente até do Pará perguntando como faz, vim trazer uma receita simples de angu mole com cogumelos, que fiz com fubá de milho crioulo vermelho. 

    Continue Reading

  • Chás

    A delícia da primavera e das flores comestíveis

    Sei que ninguém vai fazer revolução comendo comida de fada colorida e enfeitada com flores, mas também não faz mal nenhum adicionar flores comestíveis aos pratos e infusões, principalmente se elas estiverem dando sopa no nosso bairro, vai?

    Em homenagem à primavera que chega florescendo tudo, vim contar que cerca de 85% das flores são comestíveis, informação que até pouco tempo eu não sabia. Mas não é pra sair colocando tudo na boca antes de pesquisar, viu? Tem que achar uma fonte segura antes, principalmente em razão de tudo que vem do reino vegetal variar tanto o nome de região para região. No livro “Plantas Alimentícias Não Convencionais”, dos autores Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, dá para encontrar várias indicações e receitas.

    Flores comestíveis

    Vou citar algumas que são seguras para comer: ipê, mini rosas clássicas, calêndula, amor-perfeito, capuchinha, amor-perfeito de verão (torênia), borago, cravina, violeta de cheiro, prímulas, tulipa, petúnia, begônia, pétalas de girassol, e por aí vai. 

    É maravilhoso demais ver como elas podem ser crocantes, picantes, amargas ou suaves, nunca sei o que esperar! Tenho feito alguns testes aleatórios aqui em casa, outro dia coloquei flores até no café, bruxaria das boas, né? 

    Aqui tem uma receitinha ótima com flores de ipê. 

    Infusão para equilibrar o feminino

    Os chás e infusões habitam o imaginário da humanidade há séculos; e não é à toa: sorver goles de ervas e especiarias delicadamente combinadas é um exercício de “escuta” do aroma do mundo. Adoro criar novas misturas e brincar de resgatar memórias de infância através dos cheiros, pois vejo muita beleza em tirar um tempo para respirar e sentir meu coração enquanto preparo uma xícara de alguma mistura inusitada. A fragrância que os ingredientes soltam perfuma a casa e me prepara para um momento de carinho e autocuidado.

    A sálvia  a flor de jasmim são conhecidas como plantas que despertam o feminino que habita tanto em homens quanto em mulheres. Além disso, a sálvia tem efeito expectorante, controla os hormônios e,
    portanto, é indicada no período menstrual ou na menopausa. O abacaxi é diurético e foi adicionado para conferir uma doçura que ameniza o sabor pungente da sálvia.

    Ingredientes para 1 caneca

    300 mL de água filtrada
    1/2 xícara de casca de abacaxi
    3 flores de jasmim
    1 cl. (sopa) de folhas de sálvia-espanhola ou 1 gora de óleo essencial de sálvia

    Como fazer

    Adicione a uma panela a casca do abacaxi e deixe reduzir até a água ficar corada.

    Desligue o fogo, coloque a sálvia ou o óleo essencial de sálvia e misture.

    Sirva em seguida.

    E-book gratuito Chás e Infusões Essenciais

    Essa é uma das receitas do e-book que lancei com a Editora Laszlo, na mesma época em que lancei meu livro Cozinha Extrassensorial. 

    Se quiser mais infusões, baixa meu e-book gratuito aqui!

  • Receitas veganas / sobremesas

    Sorvete de banana

    Não tenho palavras para esse sorvete. Você pode fazer apenas com bananas ou colocar outros ingredientes no meio, como cacau em pó, por exemplo. É que a base só leva bananas de qualquer tipo (exceto as da terra) cortadinhas em rodelas, que são congeladas e depois de batidas viram um sorvete inacreditável.

    Continue Reading

  • Receitas / Receitas veganas / Receitas vegetarianas / sobremesas

    Calda agridoce de jabuticaba

    Caqui é minha fruta preferida. Ao invés de ficar triste por ela não estar disponível o ano inteiro, prefiro esperar abril, quando vibro de felicidade com a chegada da sua época. Em fevereiro já começo a salivar pensando na hora de cortar em gomos, ralar casca de limão por cima e encher a boca com aquele suco tudo. Afora as geleias, caldas doces e salgadas, tortas, chega a ser pornográfico pra mim.

    Em todos os países que já visitei (não são tantos assim, mas tenho notícias parecidas pelos meus amigos), puxo assunto sobre comida e não demora muito tempo para a galera falar das nossas frutas, tão diversas, tão peculiares, tão tão. Semana passada bateu uma vontade danada de comer uma torta gelada com calda doce enquanto eu estava resolvendo uns corres do meu curso na Savassi, um bairro conhecido em Belo Horizonte pelas muitas possibilidades de restaurantes, cafés, livrarias com coisinhas para comer e cantinhos desse tipo. Como quase nunca minha boca saliva por doces, decidir andar alguns quarteirões a mais para caçar alguma sobremesa.

    Fui em quatro lugares, nenhum deles tinha opção com caldas de frutas brasileiras, mas todos tinham cheesecake com morangos (tá fora de época), framboesas e blueberries (importadas!), que custam muitos dinheiros e vêm congeladas e embaladas em plástico. Nada de frutas frescas, muito menos frutas brasileiras dessa época. Que fetiche cruel inventado pelo capital esse de gostar tanto de alguma coisa só por que ela não tá disponível, né?

    E não para por aí: a lógica do mercado maltrata os pequenos produtores. Novembro é época de jabuticaba e mamão, por exemplo. Com a produção a todo vapor, há mais dessas frutas disponíveis do que em outras épocas do ano. Com isso, o preço cai e, ainda que a demanda aumente, se não vender rápido elas estragam. Por causa dessa soma de fatores os donos de grandes mercados se aproveitam da grande oferta para pagar menos a quem produziu.

    E se a gente procurasse para comprar somente o que está na época? E se a gente encomendasse esses frutos, frutas, legumes e verduras da estação para criar uma demanda? E se ao invés de irmos ao supermercado, frequentássemos mais feiras?

    É com essas ideias que trago hoje uma receitinha delícia e simples de calda agridoce de jabuticaba, um sucesso para servir com risotos, saladas e sorvetes. Certa vez fiz um bolo de milho e joguei por cima a calda quentinha, recém feita, ficou de babar!

    Por fim, não sou muito de ficar falando das propriedades nutritivas dos alimentos por que acho que o comer vai muito além disso, mas vale dizer que a jabuticaba contém ferro, fósforo, vitamina C e boas doses de niacina, que facilita a digestão e ajuda a eliminar toxinas. Puro amor!

    Continue Reading

  • Receitas / Receitas veganas / Receitas vegetarianas

    Mingau de aveia com coco e banana

    Na tentativa de parar de comer farinha branca pela manhã tenho encontrado muitas alternativas para um café saudável e completo. A panqueca de grão de bico panqueca de aveia fermentada,por exemplo, têm sido boas aliadas. Eis que o mingau de aveia com coco e banana, que fica pronto em minutos, satisfaz e é muuuuuito gostoso, entrou de vez na minha vida!

    A textura dos ingredientes dessa receita é muito notável, principalmente se você colocar nibs de cacau, que confere a crocância. Usei pimenta do reino para temperar pois ela ajuda na absorção das vitaminas.

    Continue Reading

Pin It on Pinterest