All Posts By :

Carolina Dini

  • entradinhas / Receitas veganas / Receitas vegetarianas

    Missoshiru

    Você sabe o que é o sabor umami?

    Fico sempre pensando em como os japoneses sabem das coisas. O missoshiru é uma refeição quentinha e saborosa, ideal para as manhãs frias de inverno ou para ajudar o corpo a recuperar a imunidade, pois ela dá bastante energia e esquenta que é uma beleza. Não é à toa que ela é consumida pelos japoneses com muita frequência.

    Esse prato contém muito umami, conhecido como o quinto sabor. Umami, pra quem não sabe, é um gosto residual que permanece na boca, descoberto no começo do século XX. Como ele traz a sensação de prazer, infelizmente a indústria deu jeito de conferir umami aos ultraprocessados através do viciante glutamato monossódico (MSG), um realçador de sabor que faz um mal danado à saúde, por se tratar de uma excito-toxina. Existem estudos que atribuem o consumo excessivo de MSG ao câncer e a outras doenças severas.

    Contudo, o missô orgânico, um dos responsáveis pelo sabor umami do nosso missoshiru, é um fermentado de soja seguro e super saudável. A alga e os cogumelos também contém umami, então você já pode imaginar a beleza dessa sopinha, né? Os vegetais que escolhi fazem o papel de engrossar o caldo. Então fique à vontade para variar com o que tiver em casa. Criatividade aqui é super bem-vinda!

    Outas formas de usar o missô

    Aliás, existem muitas formas de fazer missoshiru, mas hoje vou trazer uma receita que segundo um amigo japonês é clássica. Se você não tiver o hábito de consumir os ingredientes indicados ou não tiver acesso fácil a eles, saiba que há outras formas de reinventar esse caldinho de missô. Eis uma simplérrima, que aprendi com a Sônia Hirsch: você corta uma cebola por pessoa e cozinha em água abundante por meia hora, sem mais nada. Depois é só adicionar o missô e está pronta uma sopinha de cebola bem nutritiva (veja no modo de fazer, logo ali embaixo, um truque legal para incorporar o missô).

    Caso você queira saber mais sobre o sabor umami, vale assistir esse vídeo, que está em espanhol, mas rola adicionar a legenda pra facilitar o entendimento: umami, o quinto sabor.  

    Continue Reading

  • Receitas / Receitas veganas

    Palmito pupunha assado na folha de bananeira

    Passei anos da minha vida comendo palmito em conserva, até conhecer o palmito pupunha fresco, que inclusive é bem mais barato. Depois de assado, ele se torna macio por dentro, chega a praticamente desmanchar. Se você não conseguir folhas de bananeira para embrulhar antes de assar, sem problemas, é só usar papel manteiga que dá certo.

    Gosto de adicionar um pouco de cúrcuma (aquela raiz parente do gengibre, que também é conhecida como açafrão-da-terra), para dar cor ao prato.

    Continue Reading

  • Receitas veganas / sobremesas

    Goiabada cascão da roça

    Goiabada é a tradução de Minas Gerais (e tradição também!)

    Quando a safra de goiaba começa a ficar escassa, lá para o final de maio, é hora de fazer goiabada cascão para ter na geladeira o ano todo. Para isso, é preciso guardar o doce em potes de vidro e fazer de modo que toda a água seque.

    A receita abaixo é uma adaptação da receita do Hugo e da Clélia, moradores de Itapecerica-MG. Eles me ensinaram cada passinho da goiabada, mas preciso confessar que acrescentei algumas especiarias e um pouco de suco de limão na hora de fazer. O preparo original do casal leva só goiaba e açúcar, nada mais.

    A Sõnia Hirsch, minha cozinheira e autora preferida, é quem fala bastante dessa simplicidade boa na cozinha. Vou transcrever um trecho da crônica “Doces doces”, do livro “Paixão emagrece, amor engorda”, onde ela ensina a receita de um doce de banana que leva apenas bananas: “(…) na cozinha bebo dois copos de água fresca e vejo a penca de bananas do sítio, pra lá de maduras, a casca ficando preta. Simples e fácil descascar, cortas as pontas e colocar sem mais cuidados na panela de pedra com uma pitada de sal. Tampar e acender um fogo bem baixo, para que o calor aos poucos vá fazendo as bananas suarem. Suarem tanto que o suor vira calda, o esqueleto da banana aparece, a calda concentrada se reincorpora em forma de banana; e quando o cheiro estiver escandalosamente doce, o doce está pronto. A vizinha não acredita que não coloquei açúcar. Questão cultural: o Brasil colônia cresceu em cima dos engenhos de cana, e a gulodice criou uma receita padrão onde se põe sempre metade açúcar, metade fruta. Para quê? Para enjoar, decerto. Porque precisar, não precisa. Uns cravinhos, talvez um pau de canela, tudo bem. Mas para puxar o sabor, a pitada de sal já resolve. Sutil assim, realçando o gosto. Feito um vaso de flores no canto certo para atrair e irradiar bons fluidos. Feito a felicidade, que independe dos milhões que você tem no banco, ou não tem”.

    Essa passagem é tão afetiva! Me lembra as cozinheiras de Minas Gerais, da roça, que fazem doces como ninguém.

    Continue Reading

  • Receitas veganas / sobremesas

    Barrinha de cereal pedaçuda

    Essa barrinha faz sucesso por onde passa!

    A verdade é que faço várias versões dela, usando os ingredientes mais baratos que encontrar. E isso depende do lugar onde compro e da época também. A ideia é brincar bsatante, inventar combinações, tirar uma coisa aqui e colocar outra ali.

    Observando os ingredientes-base, que cito abaixo, o resto é complementar.

    Continue Reading

  • Receitas

    Creme de inhame

    Um toque de autocuidado

    O inhame é conhecido pelo poder de aumentar a imunidade. Amo esse tubérculo democrático, que pode ser encontrado em muitos lugares pelo Brasil afora. O leite de coco, que é o outro ingrediente da receita, pode ser substituído por qualquer outro leite vegetal. Aqui você encontra a receita do leite de amêndoas.  Já nesse aqui tem receita de creme de castanha de caju.

    Resolvi fazer com coco pois ele dá um toque mais aveludado e adocicado ao creme. Conforto puro para os dias frios!

    Continue Reading

  • Receitas

    Manteiga de azeite saborizada

    É engraçado como os pequenos processos de transformação na cozinha podem mudar completamente os ingredientes. Desde que descobri uma intolerância à lactose, diminuí bastante o consumo de lácteos, como já contei por aqui. Tava sentindo uma falta danada de comer manteiga de sálvia em abundância, e o azeite não tava substituindo bem, já que para essa manteiga de sálvia ficar no ponto perfeito, ela precisa borbulhar quando aquecida, a ponto de ficar levemente marrom.

    Continue Reading

  • Receitas

    Nhoque de batata-doce roxa na manteiga de sálvia

    É incrível como a batata-doce roxa raramente é encontrada em grandes supermercados. São nas feirinhas orgânicas, onde os próprios produtores vendem os ingredientes que produzem, que as danadas estão presentes.

    Essa receita de nhoque de batata-roxa na manteiga de sálvia é leve e muito saboroso. Já testei só com a farinha de grão de bico, mas ele ficou menos leve do que gostaria. Misturando a farinha de grão de bico com farinha de arroz, que é mais seca, deu super certo.

    Se você é vegano ou tem intolerância à lactose, veja como fazer uma manteiga de azeite nesse post. 

    Continue Reading

  • Receitas veganas / sobremesas

    Canjica doce feita com leite de coco

    Comida é resgate da afetividade

    Tenho falado muito de comida afetiva por aqui. Canjica doce é uma delas, pois tem gosto de festa junina e por isso me lembra música, tradição, mato, quadrilha, pescaria de mentirinha com direito à brindes, correio do amor, fogueira, quentão na mão e quentinho no peito. Ah, as noites de São João! Pensando nelas, postei no blog uma receita de canjica doce feita com leite de coco fresco, engrossada com pasta de amendoim e crocante de coco por cima.

    Continue Reading

  • entradinhas / Receitas / Receitas veganas / Receitas vegetarianas

    Chips de coco seco

    Esse chips prático e rápido é perfeito para levar na bolsa e lançar mão naquelas horinhas que a fome bate, já que, além de muito saboroso,  quando chega no intestino estimula um hormônio que manda para o cérebro a informação de “saciedade”.

    O coco é riquíssimo em nutrientes e fibras, possui  propriedade antiviral, antifugicida, antibacteriano, anti-inflamatório, antioxidante e vermifuga.  Também melhora os níveis de “bom” colesterol (baixando o LDL e aumentando o HDL) e assim ajuda a proteger o coração.

    Sou tão louca com coco que já postei várias receitas com esse ingrediente aqui no blog, é só digitar “coco” no campo “procurar” para você acessar todas elas. Aqui você encontra uma receita de frozen de café com leite de coco, por exemplo.

    Continue Reading

Pin It on Pinterest